terça-feira, 10 de abril de 2012

Conta Corrente


Nada devo á vida
A vida nada me deve
Do contrato que fizemos
Não escrito
Não falado
Conta corrente não existe
Tão só
Trocas sem valor definido
São apenas desejos
Risos, dores, prazeres
Vontades
Ou nem isso
Soma de erros
Em que o valor é omisso
Colunas de deve e haver
Vazias de sentir
Saldo zero de viver
.


  • Foto : Agnieszka Motyka
  • Sem comentários:

    Enviar um comentário

    Seguidores