quarta-feira, 16 de maio de 2012

Praça da Figueira ou um Retrato de Lisboa


 
Fim de Tarde

A instalação sonora debita uma música que pretende dar alguma animação à praça.
Algumas pessoas, não muitas, passam em fim de dia, umas apressadas outras nem tanto, poucas as que param mirando as montras talvez olhando aquela peça que gostariam de possuir e...
Alguma deambulando pela canícula que se faz sentir deixando que o ocaso traga a noite e com ela ...
Um invisual tenta descobrir uma fresta entre o emaranhado de carros estacionados, alguns corretamente outros nem por isso ocupando parcialmente o passeio.
Eis que a nesga! está ali!
Quer atravessar a rua?
Sim! Posso atravessar?
Pode!
Uma mão no braço. Seria preciso?
O encontro com o passeio do outro lado da rua.
Cuidado!
Onde devia estar a calçada um omnipresente buraco assumindo-se com orgulho.
Aqui estou. Sou um de muitos que existem por essa Lisboa.
Desvio
Retoma do percurso
Mais à frente as mesas e cadeiras da esplanada de um café tomam conta do passeio.
Desvio,
Sem hesitações.
Este é um obstáculo já conhecido.
Presente e permanente como tantos nos passeios de Lisboa

Foto : colinek

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seguidores